Menstruação, TPM, Ciclos Femininos - Vamos fazer as pazes!

   Em uma modernidade em que ainda prevalece uma crença de que a TPM e a menstruação são os maiores inimigos das mulheres, torna-se cada vez mais necessário o contato com nosso próprio ciclo: aprender como ele funciona (o ciclo da Renata não é igual ao ciclo da Fernanda!). Reconhecer nossas necessidades e aprender como harmonizá-las a fim de que a TPM e os sintomas não sejam mais os nossos inimigos.

   Tradicionalmente, toda moça quando entra na menarca (primeira menstruação) recebe a orientação da mãe de como se usa o absorvente, ver no calendário como se calcula a próxima menstruação e as dicas da avó: "nada de pé no chão", "não dorme com essa cabeça molhada!", "se agasalha", etc. Mas deviam te contar: que você é agora uma mulher de fases - e pode usar essas fases ao seu favor!


   Como mulher, amiga e profissional da saúde venho fazer um convite à todas as outras mulheres: Vamos fazer as pazes com seu corpo e sua menstruação? Chega dessa moda descabida de matar nosso aspecto feminino e achar que a menstruação é culpada de todos os males da nossa vida. Já passou da hora de parar de condenar quem é inocente e sim tomar a responsabilidade por nossa saúde.

Como funciona o seu ciclo?

    Essa é a primeira pergunta que você se deve fazer e que vai levar algum tempo para ser respondida, pois se você não tem o hábito de prestar atenção e anotar quando você menstruou; quanto tempo durou; se teve cólica ou não; quantos dias dura seu ciclo; que outros sintomas te acometeram no período menstrual e fora dele (etc)... Bem, irá levar algum tempo para que se possa fazer essas observações e comparar com outros ciclos para achar o padrão.
   Existem mulheres com ciclos de 20 dias e existem mulheres com ciclo de 40. Existem mulheres que possuem fluxo intenso, moderado, leve... esse é o básico do básico que uma mulher precisa saber, mas se você quer fazer as pazes com o ciclo, vai precisar saber isso e muito mais de você!

Como reconhecer o seu ciclo?

   No passado era mais complicado manter um registro de nosso ciclo, era só uma bolinha em volta do número do calendário para marcar o primeiro dia da menstruação e olhe lá. Mas hoje temos inúmeras ferramentas que nos propiciam realizar esse registro de forma rápida e prática e são eles: os aplicativos de calendário menstrual! Se você tem acesso a internet ou tem um smartphone, pode contar com essas ferramentas mas a observação tem que se tornar um hábito diário! 10 minutos do seu dia dedicados a construir esse registro. Na hora pode parecer não ter importância, mas quando estudamos para ver os padrões com vários ciclos: touché! Tudo faz sentido e informações importantes que você nem sabia que existiam vem à tona.

Notas de sintomas: Como funcionou o seu intestino hoje? teve dores de cabeça? sente frio ou calores súbitos? transpira durante a noite? espinhas? cólicas? inchaço? tontura? fadiga? ansiedade? desejos por comidas (que tipo de comidas?) desejo sexual?
Notas de emoções: Qual foi o seu humor hoje? Se sentiu deprimida, confusa, alegre?? classifique o humor para esse dia (ou os humores)
Temperatura/peso: Se puder calcular a temperatura corporal e o peso, de preferência na mesma hora todos os dias, para no futuro ver se há oscilação dessa temperatura de acordo com a fase do ciclo, vai servir de base para outros entendimentos.
Nota do período menstrual: Classificar o primeiro dia, como foi o fluxo, qual a coloração do sangue que está descendo, qual a viscosidade? além de todos os itens citados acima.
Nota de relações sexuais: Muitos aplicativos disponibilizam a opção de marcar quando houve relação sexual, se foi protegida ou desprotegida (também é uma ótima ferramenta para quem está tentando engravidar), se houve orgasmo ou não e ainda gera estatística para que se faça uma média de frequência das relações e orgasmos, muito bacana para a mulher que também gosta de cuidar da sua saúde sexual e se autoconhecer sexualmente.

Harmonizando seu Ciclo

   Uma vez que você começa a prestar atenção no seu ciclo e aceita o convite de conhecê-lo, surgem os "insights", as percepções, a intuição...
 O que serve para mim e o que não serve?
   É somente após estabelecer essa conexão que percebemos que talvez: "aquele pé no chão na terceira semana do meu ciclo possa ter contribuído para minha cólica, pois descobri que na terceira semana estou mais sensível ao frio. E talvez aquela quarta semana seja ideal para dar vazão aos meus processos criativos pois percebo que mantenho o humor se faço atividades que me dão prazer (dançar, desenhar, escrever, inovar no trabalho ou em casa)... mas por exemplo percebo que essa semana atual é a minha semana e de mais ninguém, pois se fico muito em contato com o social, fico com dor de cabeça e meu humor cai."
   É aqui que vemos como o nosso ciclo só funciona para nós, e o ciclo de ciclana funciona para ela. Identificando os humores prevalecentes em cada semana, quais são os fatores sensibilizantes, quais alimentos funcionam melhor para cada período, perceber as vezes que o ciclo menstrual afeta o ciclo intestinal e uma mudança alimentar pode fazer toda a diferença nesse espaço de tempo.

   Na via positiva a mulher se sente empoderada quando compreende e harmoniza seu ciclo, utilizando sabiamente seus momentos e estabelecendo com maior facilidade o bom humor e qualidade de vida quando diferencia o que é benéfico e o que é nocivo para seu corpo. Ela agora consegue identificar quando as emoções ficam mais afloradas, quando a imunidade começa a cair, quando ela fica mais forte, quando fica mais sociável... e passa a tirar proveito dessas "fases" que antes ditavam a morte, agora ditam oportunidades!
   Na via negativa, conhecer o próprio ciclo é "cair a ficha" que muitas revistas e soluções milagrosas não servem para o corpo dela. E que ela esteve e estará cercada de muitas informações que a tiraram do próprio caminho, quando a resposta era muito simples e que experienciar sua natureza e individualidade era o primeiro passo para uma vida mais tranquila. Aqui ela percebe que embora a mulher tenha conquistado muito, ela não é melhor/pior e nem igual ao homem. Ela é única e merece ser tratada em sua individualidade com todo o respeito e dignidade. Hora de quebrar de vez com crenças que existem, influenciam mas não agregam mais valor para nosso desenvolvimento.

Minha experiência com App de Calendário Menstrual

   Comecei a registrar meu ciclo com o calendário da marca de absorventes Intimus (calendário menstrual online), até que um dia eles tiraram o app do ar sem avisar para uma reforma. Fiquei uns 3 meses sem conseguir acessar meus dados. Enviei um e-mail procurando explicações e fui comunicada da tal reforma e que em breve tudo estaria de volta ao normal. Esperei algumas semanas mais e lá estava ele de volta, mas meus dados anteriores sumiram completamente. Dá para imaginar a minha revolta em confiar e depois quebrar a cara, não?. (...) Bem chata a situação!
   Então fui um pouco mais esperta e conheci o Meu Calendário, app de smartphone gratuito. Achei bem mais fácil de registrar as informações e com várias outras opções (uma delas é de fazer o backup por e-mail e também enviar o relatório diretamente para o seu médico). Uso esse atualmente e recomendo!



E vocês mulheres? Como fazem para registrar seu ciclo? Gostaram das dicas, tem alguma dúvida?? Só deixar um comentário aqui em baixo e eu respondo o mais rápido possível!


Nenhum comentário:

Postar um comentário