O amor não é cego mas você é cego sem amor!

   Eu acredito que sempre podemos aprender um pouco a mais com o Amor. Todo o sofrimento que passamos em vida está ligado de alguma forma ao afastamento do Amor.

   Quanto mais nos afastamos do Amor e sua Consciência, mais desesperados ficamos, perdemos a proporção da realidade. Dizem que o Amor é cego, mas eu acredito mesmo que a cegueira verdadeira é a falta desse Amor.
   Sem amor, exageramos cada ato ao nosso redor, como consequência disso, nos sentimos ofendidos, humilhados e desprezados. Fazemos com que as mágoas tomem conta de nosso coração, apelando para atitudes ridículas e maldosas que por sua vez nos afastam mais ainda do amor que desejamos vivenciar. Passamos a cobrar, exigir, querer que a pessoa sinta a nossa dor de forma pior que vivenciamos, queremos nos vingar. Surge então o sentimento de competição: "você não me amou? você vai ver como vai se arrepender porque vou provar que sou mais digno de amor que você!" (...) Enfim, o universo de atitudes ridículas de opressão ou vitimismo é infinito, principalmente se somos tomados pelo desespero de não nos sentir amados. Só quando estamos na vibração do amor que não temos necessidade de realizar tais atitudes.

 Não nos sentir amados eu considero que seja a pior das doenças que pode existir, porque uma pessoa que não é amada, também não é aceita. Uma pessoa que não é amada, não consegue realizar seu propósito de vida, não tem confiança em seu caminhar, não consegue se expressar livremente. Uma pessoa que não se sente amada, se sente abandonada pela existência. Uma pessoa que não se sente amada tampouco terá forças para viver.

   Ainda não conseguimos mudar nossa mentalidade para compreender que só nos sentiremos amados quando despertarmos o amor dentro de nós. Distorcemos muitas coisas por pura ignorância. Achamos que o amor vem de fora e rasga a camada de dor que nos protege para que enfim possamos despertar. Achamos que amor é ter um parceiro que faça todas as nossas vontades e não nos cause dor. Achamos que amor é algo que temos direito de receber do outro independentemente de nossas condutas. Achamos que amor é algo que cresce entre uma família, ou entre uma paixão, ou um objetivo, mas nunca paramos para pensar que o amor talvez seja um estado de espírito que independe de fatores externos. Que todos, independentemente de cor, posição social, atributos físicos, profissão ou falta dela, opiniões... enfim.. TODOS foram feitos para se sentirem amados e poder amar o próximo.

   O que será que nos falta para de fato nos sentirmos amados? Competência? todos temos! Inteligência? todos temos! Dignidade? também temos! O que realmente nos falta, talvez seja apenas a BOA VONTADE, a disposição para que o amor entre em nossos corações e se manifeste através de nossos pensamentos, palavras e obras.

   O que nos falta é a boa vontade de refinar e aprimorar nossas virtudes, observar que muitas vezes queremos alcançar o topo de uma montanha e não tiramos o pé do vale.

   O que nos falta é a disposição de nos livrarmos de nossa ignorância todos os dias, buscando sempre sermos melhores do que fomos ontem.

   O que nos falta é nos livrarmos da necessidade de sempre receber para que possamos mostrar e oferecer o nosso melhor lado para todos e não só para quem nos dá alguma coisa.

    O que nos falta é aprendermos limites e respeito, moderar nossos impulsos pensando nas consequências que isso terá ao coletivo e a nós mesmos em um futuro próximo.

    O que nos falta é vencer a preguiça e a indecisão que nos imobiliza para que deixemos de ser uma pedra no caminho de nossos próprios sonhos e no caminho das pessoas que estão à nossa volta.

    O que nos falta é cultivar a paz e a calma para que as emoções exteriores não nos desequilibre, fazendo valer a nossa própria vontade, respeitando nosso ritmo e o ritmo dos outros.

    O que nos falta é parar de sofrermos com a vitória dos nossos semelhantes e conhecer a alegria que é dividir com esses seres a satisfação e a felicidade de desfrutar das bençãos oferecidas, ter o cuidado de reconhecer o trabalho dos outros e tentar realizar o nosso da melhor forma que for possível.


    O que nos falta é reconhecer o nosso tamanho em relação ao universo, reconhecer que somos especiais mas quem está do nosso lado é igualmente especial e que ama e sofre como nós.

    O que nos falta é trocar a competição por colaboração.

    O que nos falta é parar de reclamar por tudo que não nos foi dado e aproveitar pessoas e oportunidades que já se encontram à nossa disposição.

    O que nos falta não é pedir por coisas boas, querer sempre o melhor. O que nos falta é perceber que pedimos, recebemos e muitas vezes jogamos fora.


   O que nos falta talvez seja a boa vontade de fazer com que o amor se manifeste em tudo o que fazemos, se assim for possível para cada um. Manter a chama do amor acesa em nós para que sempre possamos nos sentir amados e iluminar à todos ao nosso redor com esse amor, encorajando-os sutilmente a ter a mesma boa vontade e disposição de amar. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário