O que podemos aprender com a Carta de Amor de Maria Bethânia?

  A interpretação de palavras é individual para cada um, mas venho colocar a minha visão que destoa completamente de alguns dizeres que esse seria o maior discurso de ódio da MPB, um ataque a um amor, ou qualquer pessoa em específico.

  Tentarei mostrar minha posição e visão idealista junto com a entrevista que Maria deu a respeito dessa música, onde ela fala que escreve e queima, escreve e queima, porque ela não escreve para ninguém, apenas para si. Para se conhecer melhor e é na base desse auto-conhecimento e desenvolvimento que foco meu olhar, esse carta de amor é para cada interior, cada coração.

O amor não é cego mas você é cego sem amor!

   Eu acredito que sempre podemos aprender um pouco a mais com o Amor. Todo o sofrimento que passamos em vida está ligado de alguma forma ao afastamento do Amor.

   Quanto mais nos afastamos do Amor e sua Consciência, mais desesperados ficamos, perdemos a proporção da realidade. Dizem que o Amor é cego, mas eu acredito mesmo que a cegueira verdadeira é a falta desse Amor.
   Sem amor, exageramos cada ato ao nosso redor, como consequência disso, nos sentimos ofendidos, humilhados e desprezados. Fazemos com que as mágoas tomem conta de nosso coração, apelando para atitudes ridículas e maldosas que por sua vez nos afastam mais ainda do amor que desejamos vivenciar. Passamos a cobrar, exigir, querer que a pessoa sinta a nossa dor de forma pior que vivenciamos, queremos nos vingar. Surge então o sentimento de competição: "você não me amou? você vai ver como vai se arrepender porque vou provar que sou mais digno de amor que você!" (...) Enfim, o universo de atitudes ridículas de opressão ou vitimismo é infinito, principalmente se somos tomados pelo desespero de não nos sentir amados. Só quando estamos na vibração do amor que não temos necessidade de realizar tais atitudes.