Hipocrisia = Humildade

   As pessoas consideram hipócrita uma pessoa que diz ter sentimentos, crenças, virtudes e idéias mas que na prática não demonstra tais pregações.
   Provavelmente você conhece alguém em que pode identificar uma atitude hipócrita e para começar uma leitura bem honesta, sei que você também foi hipócrita em algum momento da vida. Pelo menos eu fui e sei que ainda vou ser. Não que eu me orgulhe disso, mas também não é nada tão horrível para que eu morra de vergonha e passe meus dias me condenando. Faz parte da nossa evolução.

  Ao longo do nosso dia a dia, somos bombardeados das mais diversas informações e códigos de conduta moral. Aquilo é certo. Aquilo é errado. Ideal de relacionamento. Ideal de trabalho, enfim, indicações sobre como devemos ser e agir não nos faltam.

   Em nosso íntimo, filtramos e seguimos aquilo que temos afinidade - o que condiz com nosso estilo e personalidade - e o processo de trazer o pensamento ao ponto de ser realmente aquilo que acreditamos é um pouco mais demorado do que simplesmente encontrar a direção certa a seguir. Acredite, não há problema algum nisso. Isso faz parte do nosso aprendizado. Ter humildade é compreender e não se frustrar intensamente quando você se encontrar no ponto de descobrir que foi hipócrita, ou que errou, ou n variáveis que possam existir.

   Quantas vezes nos pegamos tomando uma atitude egoísta? Ou uma atitude preconceituosa? Isso é normal. Acontece e vai continuar acontecendo, com você e com os outros, faz parte do processo. O nosso processo de ancoramento daquilo que escolhemos seguir. Devemos considerar também que nossos interesses mudam continuamente, assim como nossas atitudes.

   O grande segredo é manter uma visão ampla dos acontecimento, uma visão ampla dos nossos processos e que é apenas uma situação temporária. Tal como ter mais amor por aquilo que consideramos "errado", "impuro", "tóxico".
   Acolher-nos como um todo, com nossos acertos e nossas falhas. Despertar o amor pelo que somos, inclusive as nossas falhas, nossos erros. Aceitar-se como se é sem culpa, sem vergonhas e sem medos.

   E quando nos identificarmos em uma situações de sentimentos impuros, não focar tanto na sujeira e sim no equipamento de limpeza para organizar a bagunça, sem ansiedades, sem julgamentos, apenas continuar no caminho de aprendizado, deixando a sujeira (culpas, vergonhas, medos) ser limpa com os melhores produtos (perdão, liberdade e coragem)

   Aprendi com um mestre: "Ninguém precisa pedir para que os erros e os maus caminhos cheguem até nós. Eles vêm sozinhos. O que podemos fazer é nos limpar regularmente e preservar a nossa essência para que a cada dia possamos ancorá-la em nossas atitudes, em nosso modo de ser."

   Não se preocupe com a ansiedade, novamente esse processo não é automático como encontrar uma ideia que tenha afinidade e dizer: vou seguir. Esse é um processo lento e gradual feito de experiências e tombos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário